Conhecendo um pouco sobre a vida e os ensinamentos do Padre Luís Caburlotto - 28 de 30

28_de_30_Confidências_do_Pe._Luís_-_Dia_13_de_maio.jpg

24 de setembro 1842


Na Basílica de S. Marcos ressoavam cantos gregorianos. Eram tantos seminaristas que cantavam com grande habilidade. Do dia da minha Ordenação Sacerdotal, recordo-me, sobretudo quando, prostrado deitado no chão, juntamente com os meus 23 companheiros, enquanto sobre nós invocavam todos os Santos, eu chorava. Sim, porque tinha receio, que nunca chegasse até aquele dia. Estive muito doente. Pensava até mesmo de morrer, falavam de tuberculose, ou de insuficiência cardíaca. Pela boca, expelia sangue.

Tinha pedido intensamente a Maria, minha dulcíssima Mãe, de conseguir o dom da Ordenação Sacerdotal e de celebrar uma Santa Missa. Uma só. E estava ali.

Fiz passar no coração e na mente os rostos amados dos meus Pais e Irmãos, dos sacerdotes dirigentes da minha alma, dos Padres Antonangelo e Marcantonio Cavanis, meus Educadores, dos companheiros e Professores do Seminário, do Patriarca Jacopo Monico, que sempre me encorajaram e que dentro de pouco tempo me consagrariam no Sacerdócio.

Recordava-me das minhas Paróquias de Veneza: Dei Frari, S. Pantaleone onde passamos várias vezes mudando de casa.

E sonhava: se me queres Sacerdote, eis-me pronto para Vós e para todos aqueles que me confiarás.

#beatificaçãopadreluíscaburlotto

destaque
recentes